Objetivo é informar, conscientizar, orientar e intensificar os direitos das mulheres adquiridos pela Lei Maria da Penha

A Policlínica Estadual da Região Sudoeste – Quirinópolis realizou nesta segunda-feira, 30, uma palestra sobre o Agosto Lilás na recepção da unidade de saúde. O objetivo é informar, conscientizar, orientar e intensificar os direitos das mulheres adquiridos pela Lei Maria da Penha.

A ação foi organizada pela equipe multidisciplinar da Policlínica e foi ministrada pela  psicóloga Ana Luiza Ferreira em parceria com a assistente social Taína Cândida. De acordo com as palestrantes, no mês de agosto em todo o Brasil, foram realizadas campanhas de divulgação do Agosto Lilás, campanha essa voltada para a conscientização, divulgação e intensificação da Lei Maria da Penha. Lei 11.340 de 07 de agosto de 2006.

“Maria da Penha foi uma mulher vítima de dupla tentativa de feminicídio por parte do seu companheiro na época Marco Antonio Heredia Viveros. Em uma dessas tentativas Maria da Penha ficou paraplégica, durante 19 anos a mulher lutou por justiça e punição para o agressor o que a fez se tornar símbolo da luta dos direitos da mulher em todo o mundo”, explicou Taína Cândida.

A psicóloga Ana Luiza Ferreira ressaltou que  lei garante às mulheres atendimentos especializados e medidas protetivas que as colocam a salvo do agressor.” Violência não é somente o ato de bater, e por isso na lei descreve cinco tipos de violência que as mulheres sofrem e a violência física, violência psicológica, violência patrimonial e violência moral.

As profissionais explicaram que durante a pandemia a violência contra a mulher aumentou e que uma em cada quatro mulheres no Brasil sofreram algum tipo de violência. “Por isso é importante a divulgação dessa campanha e intensificação da Lei 11.340 de 07 de agosto de 2006”, concluiu Ana Luíza.

Fonte: Jornal Diário da Manhã

Ajustar fonte