Motoristas que fazem o transporte de pacientes para hemodiálise recebem elogios e se destacam no tratamento humanizado

A Policlínica Estadual da Região Sudoeste, em Quirinópolis, inovou na atenção humanizada com os pacientes que realizam hemodiálise. O transporte feito em microônibus que buscam e levam os pacientes em cidades próximas é feito por duas mulheres, em um nicho até pouco tempo dominado por homens.

Nilma Conceição da Silva e Sidla Franco de Melo são mulheres, casadas e mães que encaram diariamente o volante de um microônibus nas estradas entre Quirinópolis e cidades próximas buscando e levando pacientes para a hemodiálise. As duas conquistaram o respeito e o apreço de pacientes, acompanhantes e gestores da saúde pela forma gentil e atenciosa com que tratam esses pacientes e acompanhantes.

O serviço de hemodiálise é uma atenção à saúde com suas singularidades, principalmente pela fragilidade dos pacientes renais crônicos que precisam passar por sessões três vezes por semana. A responsável pela atenção aos pacientes de hemodiálise de São Simão, cidade distante 100 quilômetros de Quirinópolis e que tem pacientes nesse serviço, elogia a presença de duas mulheres no transporte.

“Elas demonstram muito respeito e cuidado para com nossos pacientes e isso é próprio da sensibilidade da mulher”, comenta Patrícia Jorge Miranda, da Secretaria Municipal de Saúde de São Simão. Ela acrescenta ser mais positivo o fato das duas mulheres à frente do volante dos microônibus agirem com o toque feminino no trato com os pacientes. “Elas dão a humanização que queremos para a saúde”, frisa.

O coordenador-geral da Policlínica de Quirinópolis, Heleno Martins, amplia os elogios e lembra que os pacientes ficam mais tranquilos com as duas mulheres motoristas porque elas os tratam com cuidado redobrado. “Sem dúvida é uma facilidade para acolher esses pacientes, dando a sensibilidade e humanização que muitos homens na mesma função não conseguem cultivar. Ponto muito positivo que rende dividendos sociais para todos. Para nossa unidade é um privilégio termos essas profissionais na nossa equipe, e temos uma admiração pois além de motoristas, são disponíveis a servir a cada um desses pacientes com cuidado, carinho e dedicação.”, finaliza.

Ajustar fonte