Objetivo é conscientizar os pacientes sobre a importância da prevenção e o combate a hipertensão arterial

No dia 26 de abril é comemorado o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. A data tem como objetivo conscientizar a população sobre os cuidados básicos para prevenir a doença, considerada a que mais mata em todo o mundo. Estima-se que 25,7% da população brasileira é hipertensa, segundo pesquisa feita, em 2016, pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas, publicada pelo Ministério da Saúde.

Atualmente, segundo a associação americana do coração e o colégio americano de cardiologia, considera-se como pressão sanguínea ótima o valor de 110 mm Hg para a pressão sistólica e 70 mm Hg a diastólica, conhecida popularmente como “11 por 7”. Há pouco tempo, esse valor era de 120/80 mm Hg e foi alterado devido estudos mais recentes, que indicam que níveis pressóricos inferiores são vasoprotetores, sendo então o valor “12 x 8” ainda considerado normal, mas não ótimo.

Sintomas:

A hipertensão geralmente é silenciosa, sendo importante medir regularmente a pressão arterial. Na fase mais avançada pode apresentar tontura, falta de ar, palpitações, dor de cabeça frequente e alteração na visão podem ser os sinais de alerta.

Principais causas:

Obesidade, histórico familiar, estresse e envelhecimento estão associados ao desenvolvimento da hipertensão. O sobrepeso e a obesidade podem acelerar em até 10 anos o aparecimento da doença. O consumo exagerado de sal, associado a hábitos alimentares não adequados também colaboram para o surgimento da hipertensão.

Tratamento e cuidados após o diagnóstico:

A hipertensão, na grande maioria dos casos, não tem cura, mas pode ser controlada. Nem sempre o tratamento significa o uso de medicamentos, sendo imprescindível a adoção de um estilo de vida mais saudável, com mudança de hábitos alimentares, redução no consumo de sal, atividade física regular, não fumar, moderar o consumo de álcool, entre outros.

Complicações:

As principais complicações da hipertensão são derrame cerebral, também conhecido como AVC, infarto agudo do miocárdio e doença renal crônica. Além disso, a hipertensão pode levar a uma hipertrofia do músculo do coração, causando arritmia cardíaca. O tratamento da hipertensão, de forma continua, amplia a qualidade e a expectativa de vida.

Prevenção e controle:

–Manter o peso adequado, se necessário, mudando hábitos alimentares;
–Não abusar do sal, utilizando outros temperos que ressaltam o sabor dos alimentos;
–Praticar atividade física regular;
–Aproveitar momentos de lazer;
–Abandonar o fumo;
–Moderar o consumo de álcool;
–Evitar alimentos gordurosos;
– Controlar o diabetes.

A palestra foi finalizada com a entrega de um folder contendo as principais informais sobre a prevenção e os cuidados após diagnóstico de hipertensão arterial bem como algumas dicas e sugestão de sal de ervas para incorporar na alimentação e, com a ajuda da equipe de enfermagem, foi disponibilizado aos colaboradores que, se fossem do seu interesse, a equipe técnica da unidade  estava disponível para aferir a pressão arterial dos mesmo.

Ajustar fonte