A atividade teve o objetivo de informar, conscientizar e orientar os pacientes sobre quais frutas possuem maior concentração de potássio.

O potássio é um mineral presente nos alimentos, principalmente nos de origem vegetal como frutas, verduras, legumes e feijão. Ele é muito importante para o funcionamento dos músculos de todo o corpo, inclusive o músculo cardíaco.

A preocupação em manter o potássio plasmático nos valores considerados normais (3,5 a 5meq/l) é grande, uma vez que, tanto a sua falta como o seu excesso podem levar a arritmias cardíacas e morte súbita.

Uma das funções dos rins é regular a quantidade de potássio no sangue: estes são responsáveis por excretar 90% da carga ingerida de potássio, sendo o restante eliminado através das fezes. Os iões de potássio são filtrados no glomérulo: 65% da reabsorção ocorre no túbulo proximal. Quando os rins não são capazes de cumprir esta função de forma eficaz, o nível de potássio no sangue sobe.

Uma das formas de reduzir a concentração de potássio em alguns alimentos é através do processo de desmineralização. Uma vez que o potássio apresenta facilidade em ligar-se às moléculas da água, após cozimento, estes alimentos perdem algum potássio presente nos alimentos ao natural ou em cru.

Praticado este processo de desmineralização, os legumes e hortícolas ficam naturalmente mais pobres em potássio (podendo variar entre os 30 a 50% de redução no teor).

Pode igualmente variar na escolha de legumes e hortaliças, preferencialmente após confecção em água. A batata, sendo um alimento com elevada concentração de potássio, deve ingerir com menor frequência.

Duas formas de proceder à desmineralização dos alimentos:

Colocar os alimentos  cru, cortados no maior número de porções possíveis (quando mais fraccionados, maior a área de contato com a água e maior percentagem de potássio é removido), deixar de molho pelo menos durante 2 horas. Rejeite essa água e repita o processo.

Colocar os legumes para cozinhar durante 10 minutos, rejeitando a água da primeira fervura. Voltar a colocar os legumes numa nova água, já a ferver, para terminar o processo.

Em ambos os casos é importante não esquecer de rejeitar a água, pois estão muito concentradas em potássio.

É importante entender que nenhum deste processo retira a totalidade de potássio presente nos alimentos. Lembre-se que o potássio vai acumulando no organismo desde o fim do último tratamento até ao início do tratamento seguinte. Para alguns doentes, a hemodiálise é a única forma de remoção potássio acumulado no organismo.

Conhecer os alimentos mais ricos em potássio ajuda no dia-a-dia do paciente, com especial atenção e cuidado no período em que fica mais tempo (três dias) sem fazer hemodiálise.

Um destaque é a Carambola, independente do seu conteúdo de potássio, apresenta uma substância tóxica ainda não identificada, que pode causar desde soluços até coma e morte em pacientes com DRC.

Condução da atividade: foi apresentado aos pacientes duas folhas contendo imagens de frutas, em uma delas as frutas com alto teor de potássio (mamão, abacate e manga palmer), na segunda folha as frutas com baixo teor de potássio (banana-maçã, maçã e abacaxi). Foi perguntado a cada paciente qual grupo de fruta o mesmo tinha o hábito de consumir. Com base na resposta, era esclarecido qual grupo possuía menor concentração de potássio e qual grupo a maior concentração, devendo as mesmas ser evitadas, dando preferencias as frutas com menor concentração. Foi explicado também as formas de contribuir para diminuir a concentração de potássio dos alimentos, picando os mesmo em pedaços pequenos, deixando de molho e cozinhando em água em abundância, lembrando de desprezar essa água.

Ajustar fonte